Wiki Chaves
Advertisement
Os Espíritos Zombeteiros - Parte 2
Chaves7717 480
Episódio de Chaves
Título Original Sonámbulos - parte 2
Elenco Roberto Gómez Bolaños
Carlos Villagrán
Ramón Valdez
Florinda Meza
Angelines Fernández
María Antonieta de las Nieves
Versão 2
Exibição 1977
Anterior Os Espíritos Zombeteiros - Parte 1
Próximo Os Espíritos Zombeteiros - Parte 3
Dublagens Som de Vera Cruz: 1 Dublagem (2018)
Obs.: Exibido pela primeira vez no Brasil pelo Multishow em 07/11/2018.
As outras duas primeiras partes que são inéditas chegaram a ser registradas pelo SBT na Ancine. Não se sabe se as outras duas foram dubladas realmente pela MAGA.
Direção Enrique Segoviano

Os Espíritos Zombeteiros - Parte 2 (no original Sonámbulos - parte 2) é um episódio do Chaves de 1977. É a segunda parte da saga.

Sinopse[]

Todos os moradores da vila são sonâmbulos, inclusive Quico e Dona Florinda. Seu Madruga diz para ter cuidado, pois pode ser perigoso acordá-los.

Elenco e Dubladores[]

Elenco[]

Dubladores Som de Vera Cruz (2018)[]

Continuidade[]

  • Na cena em que ChiquinhaChaves encontrando um prato em seu barril, ela chega cantando a música "Peludinho", que viria a ser cantada no episódio O Cachorrinho (1979).

Citações[]

narrador: Os Espíritos Zombeteiros, Segunda Parte
Chaves: Mas esse prato estava dentro do barril.
Chiquinha: Dentro do barril?
Chaves: Sim, e já são quatro pratos que aparecem de manhã aqui dentro do barril.
Chiquinha: Ah, eu lembro que você tinha me falado! Já sabe quem coloca eles aí?
Chaves: Não. Mas a Bruxa do 71 disse que são os espíritos carpinteiros.
Chiquinha: "Espíritos zombeteiros"!
Chaves: Isso, isso, isso, isso, isso, isso... Mas isso não é verdade, não é?
Chiquinha: Bom, pois quem sabe, Chaves? Porque uma vez, eu vi um tio meu que já morreu.
Chaves: Você viu com seus próprios olhos?
Chiquinha: Sim! Pois é, pois é, pois é, pois é!
Chaves: E quando você viu?
Chiquinha: Antes dele morrer!
Chaves: E o que tem isso a ver?!
Chiquinha: Bom, me deixa acabar de contar?! Meu tio dizia que na casa dele havia um cômodo onde se escutavam ruídos estranhos!
Chaves: Bom, poderia ser o banheiro, porque--
Chiquinha: Não! O cômodo era o quarto dele! E os ruídos eram assim como se viessem direto de uma tumba!
Chaves: [gemendo] Ai...
Chiquinha: E isso não é nada! Às vezes ele via coisas que voavam!
Chaves: Eu, aqui na nossa vila, já vi coisas que voam!
Chiquinha: Que tipo de coisas, Chaves?
Chaves: Moscas!
Chiquinha: Ai, não, Chaves! Eu me refiro a--
[Dona Clotilde entra na Vila com uma cesta]
Chiquinha: A Bruxa do 71!
Dona Clotilde: Pois não, Chiquinha? [para de caminhar e se vira] Como disse?!
Chiquinha: Ah...
Dona Clotilde: A quem você disse isso?
Chiquinha: Ao Chaves!
Chaves: Ah! Você disse isso pra mim?!
Chiquinha: S-Sim, eu disse a você que Dona Clotilde era uma bruxa!
Dona Clotilde: Tinha que ser. Posso saber porque você diz a todo mundo que eu sou uma bruxa?!
Chiquinha: Porque a senhora nunca me pediu que guardasse segredo!
Chaves: Mas você fez muito mal em dizer que a Dona Clotilde é uma bruxa!
Dona Clotilde: Ah, muito bem, aprenda!
Chaves: Basta qualquer um olhar pra ela!
Chiquinha: É.
Dona Clotilde: Hm. Tal e qual.
[Seu Madruga sai de casa assobiando]
Dona Clotilde: Seu Madruga, quero que saiba que sua filha me chamou de bruxa várias vezes!
Seu Madruga: Oh. Chiquinha!
Chiquinha: Eu.
Seu Madruga: Quantas vezes já te disse que a uma senhorita não se chama de bruxa?!
Chiquinha: E a uma bruxa eu posso chamar de senhorita?
Seu Madruga: Bom, sim. Sim...
Chiquinha: Com licença, senhorita. [sai da vila]
Dona Clotilde: Hm. [aperta os lábios e olha para a tela]
Dona Clotilde: Ouça, Quico.
Quico: Sim?
Dona Clotilde: Por acaso você não viu o Chavinho por aí?
Quico: Oh! Muitas vezes! É um baixinho assim todo sardento e muito tonto--
Dona Clotilde: Sim, sim sim sim, já o conheço, sabe onde ele está?
Quico: Ah, ele deve estar no barril, quer ver? [vai até o barril] Chaves, a Bruxa do 71!
Dona Clotilde: Qual bruxa?!
Quico: Pois a senhora! Que outra-- Ah, ele não tá na barril não, quer que eu vá procurar?
Dona Clotilde: Sim!
Quico: Com muito prazer!
[Quico anda em direção ao portão da vila; Dona Clotilde anda até a gaiola de seu canário]
Quico: [para e dá meia volta] Ah, claro, ô, Quico! [anda até Dona Clotilde] Olha! Se eu encontrar ele o quê que eu digo?
Dona Clotilde: Diga que eu preciso que ele me faça um favor.
Quico: Ah! [sai andando, para, e volta] Olha, e se eu não encontrar o Chaves eu digo o quê?
Dona Clotilde: Ai, como você é burro! [entra em casa]
Quico: [para a tela] Mas se eu disser isso ele vai se zangar! Mas foi ela que mandou.
Chaves: Você estava me procurando?
Quico: Não, eu não, a Bruxa do 71.
Dona Clotilde: De novo, moleque, eu não sou bruxa, sou Dona Clotilde!
Quico: Sim, mas carinhosamente nós chamamos a senhora de Bruxa do 71.
Dona Clotilde: Quê?!
Quico: Digo... A Bruxa Clotilde? ...A Clotilde do 71? ...Simplesmente "Bruxa"! ...Madame Mim? ...Pois não deu! Com licencinha! [vai pra casa]


Chaves - Temporada de 1977
As Crianças Assistem a Aula · O Porquinho · O Dia da Amizade · O Cãozinho Madruguinha, Partes 1, 2 e 3· Quem semeia moeda, colhe tempestade!· O Jogo de Beisebol· Seu Madruga Fotógrafo, Partes 1 e 2· O Fantasma da Vila· A Casinha do Quico· Amarelinhas e Balões· O Vendedor de Balões· O Cavaleiro das Mil Encrencas · Seu Madruga Carpinteiro, Partes 1 e 2· Vamos Todos a Acapulco, Partes 1, 2 e 3· O Álbum de Figurinhas· Os Espíritos Zombeteiros, Partes 1, 2 e 3· A Falta de Água, Partes 1 e 2· O Calo do Sr. Barriga· Ah! Logo Agora Que Eu Queria Ver Meu Time Jogar...· O Professor Apaixonado· Os Refrescos do Chaves, Partes 1, 2 e 3· Bilhetes Trocados· Estou morrendo de saudades da minha amiga, mas não muito...· A Bruxa Está Solta!· A Caricatura do Professor Girafales· O Disco Voador· Abre a Torneira, Partes 1 e 2· Panqueca pra Dentro, Barriga pra Fora· O Despejo do Seu Madruga, Partes 1 e 2· Como Treinar Um Novo Campeão· Um Finíssimo Tecido Made in Taubaté· Uma Aula de Canto
Advertisement